Osteopatia

Refluxo Gastro Esofágico (RGE) – Osteopatia Pediátrica

Nos bebés o RGE é comum! Mas será normal??

O RGE é a passagem do conteúdo gástrico para o esófago e nos bebés pode acontecer por várias estruturas do seu corpo ainda estarem em desenvolvimento, por exemplo a válvula que separa o estômago do esófago ainda não fecha bem ou o diafragma ainda está muito horizontalizado. Para além disso, o leite materno é muito líquido e os bebés passam muitas horas do seu dia deitados.

Mas quais são os sinais de RGE?

Os sintomas, regra geral, são mais frequentes após as refeições:

  • Irritabilidade e choro;
  • Vómito ou regurgitação;
  • Dificuldade em mamar;
  • Diminuição do apetite ou recusa a alimentar-se;
  • Perda de peso;
  • Alterações no padrão de sono.

É certo que com o crescimento do bebé e a introdução de alimentos sólidos o RGE melhora, e até existem alguns truques que podem ajudar a reduzir os episódios de refluxo, como:

  • Alterar a pega na mama/biberão;
  • Manter o bebé numa posição verticalizada durante e 30 min após a amamentação;
  • Oferecer pequenas quantidades de alimento e várias vezes ao dia;
  • Deitar o bebé na cama com cabeceira elevada;
  • Usar roupa confortável e sem apertar a fralda em demasia na zona do abdómen.

Mas não seria melhor TRATAR as causas mecânicas do RGE?

A Osteopatia pode ser A ajuda! Através de técnicas manuais suaves o Osteopata vai avaliar e tratar todas as disfunções mecânicas que podem estar a promover o RGE e assim prevenir sequelas no seu bebé, tão importantes como:

  • Perda de peso;
  • Inflamação da mucosa do esófago;
  • Pneumonia por aspiração;
  • Sinusite e/ ou otite.

 

Por isso, melhor que tratar as possíveis complicações, será preveni-las através do tratamento atempado do RGE.

baby-2635037_1920

Anúncios
Standard
Osteopatia

Afinal o que é a Osteopatia Pediátrica?

Em termos gerais, a Osteopatia é uma terapia holística fundamentada em conhecimentos de anatomia, fisiologia e patologia e na forma como estas áreas se influenciam no surgimento da doença.

A Osteopatia Pediátrica não é mais do que uma especialidade para os 0 até aos 18 anos! As técnicas utilizadas são exclusivamente manuais, suaves e indolores, apropriadas para esta etapa da vida onde a empatia, a calma e o amor devem ser valorizadas!

Os motivos da consulta são os mais variados:

  •  Torcicolos, lesões do plexo braquial;
  • Alterações do padrão da marcha;
  • Dificuldade em mamar, dormir ou adormecer;
  • Assimetrias crânio e cara;
  • Transtornos digestivos: refluxo (bolsar), cólicas, gases, diarreia e obstipação;
  • Problemas respiratórios: bronquiolite, asma,…;
  • Otite, sinusite, estrabismo.

Hoje em dia sabemos que o bebé, durante o seu crescimento no útero materno, é submetido a pressões e posicionamentos que podem ser potencialmente prejudiciais e o próprio tipo parto (longo, muito rápido, instrumentalizado – ventosas e fórceps- induzido ou por cesariana) pode condicionar o aparecimento de diferentes disfunções e assimetrias. Estas podem não ser graves ou visíveis, podendo até passar despercebidas aos pais e pediatras, mas influenciam o normal desenvolvimento do bebé. Por isso mais importante do que o tratamento é a PREVENÇÃO!

E, por isso, a Osteopatia pode ser uma mais-valia para o seu bebé crescer em Amor e Harmonia!

Dra. Inês Alves*

* Fisioterapeuta e Osteopata, mas sobretudo uma eterna apaixonada pelo Ser e o Saber!

Desde sempre tentou aliar uma mente inquieta na busca de conhecimento em diferentes áreas do saber com o desenvolvimento das relações humanas. Por isso, no seu dia-a-dia, tenta ajudar o próximo com o seu conhecimento, experiência e sorriso.

Foi durante a sua formação em Fisioterapia, num estágio na Maternidade Alfredo da Costa, que se apaixonou pela área da Saúde da Mulher e mais tarde com a Osteopatia percebeu que também tinha a possibilidade de ajudar as futuras gerações – as nossas crianças!

baby-784607_1920

Standard