Menina, Mulher & Mãe

Adeus, belos seios, até depois

Estão a ver duas meloas redondas e rijinhas? Boa! Agora imaginem um tanque de guerra a passar-lhes por cima, seguido da Companhia Alemã de Sapateado “Chili con Tap”(foi a primeira que encontrei na net), a terminar com rinocerontes a lutarem por cima delas durante a época de acasalamento. Se conseguiram formar uma imagem mental, parabéns, estão a ver as minhas mamocas! Pronto, admito que nunca foram meloas (excepto quanto estava a amamentar), eram apenas ameixas, mas era ameixa da boa – redondas, bonitinhas e com aquele ar de serem da época. Neste momento parecem ter sido deixadas ao sol em pleno Agosto, transformaram-se em ameixas secas.

ameixa seca

Foram quase 12 meses a dar de mamar até a pequena perder o interesse (não sei se sentiu que já tinha feito estragos suficientes ou se às tantas começou a achar que as “canecas” estavam com um ar tão acabado que nem dava vontade de beber de lá).

Durante a gravidez ouvi histórias de várias mulheres cujo peito tinha crescido durante a gestação e assim se mantinha até hoje (“oh menina, eu tinha o peito tão pequenino antes de ser mãe, não imagina!”). Depois de um 5º ano de escolaridade em que fui apelidada de “azeitonas” pelo palerma do André Almeida (“sim, só tinhas uns caroços“, diz ele agora para se tentar desculpar), pensei que talvez pudesse arrumar estes meus complexos e virar borboleta no meio de todo este processo. Lixei-me! Como disse, apesar de pequeninas, elas tinham um formato fantástico, só lhes faltava o enchimento; agora falta-lhes tudo de bom – estão descaídas, zangadas uma com a outra (está cada uma a olhar para seu lado) e muito mais pequenas do que antes (como é que é possível?!). Apenas me consegui safar das estrias, de resto sofro de todos os males.

Pergunto-me até que ponto isto é justo – dei de mamar, sacrifiquei-me imenso em termos físicos e psicológicos pelo bem da minha cria, passei por duas mastites com direito a febre e tudo, será que a justiça divina não me podia providenciar dois marmelos jeitosos?! Estou a pedir muito?! Por que é que não fui seleccionada para constar nos casos de sucesso mamário pós- amamentação?! Enfim, questões para as quais não tenho resposta.

Naturalmente, estou a brincar com este assunto com o intuito de o aligeirar e de vos mostrar que não estão sós nos dramas com as mamocas; contudo não lhe retiro o lado sério que tem. Sim, por vezes vejo as minhas mamas ao espelho e torço o nariz, fico triste e sinto que fisicamente já estive melhor, mas simultaneamente sinto orgulho em mim por ter amamentado a minha filha enquanto ela quis, por lhe ter dado tudo de mim, pelo laço que criámos (atenção que tal não significa que o mesmo não acontecesse se usasse um biberão). Para mim, valeu a pena! Estes “danos colaterais” recordam-me de todo o meu percurso enquanto mãe, vejo-os como marcas de amor e de orgulho, detalhes num quadro abstracto enorme. Além disso, há sempre aquela esperança de ir ao segundo filho e este conseguir melhorar a situação (vai mamar colado ao tecto enquanto eu faço uma reza qualquer retirada na net para ajudar a manter aquele volume nice típico da amamentação).

Melhores mamas dias virão!

Anúncios
Standard

8 thoughts on “Adeus, belos seios, até depois

  1. Ana Santos diz:

    estou a amamentar à 9 meses, as minhas não eram grande coisa mas agora pareço uma velha de 90 anos, fui fazer uma consulta de bra fitting e o número certo está a ajudar a parecer outra coisa mas já estou a juntar € para uma cirurgia

    Gostar

    • Olá, Ana!

      Não sabia da existência dessa consulta. Pode-me falar um pouco mais sobre isso?
      Compreendo a vontade de fazer uma cirurgia, parece que aquele pedaço de corpo já não é o nosso. Eu quero ter mais um filho, por isso essa opção vai depender dos estragos feitos pelo segundo.
      Beijinhos!

      Gostar

  2. Sara diz:

    Como a compreendo.. nem de propósito só tenho pensado nisso esta semana, nem consigo me ver ao espelho. Tenho um menino com 6 anos e agora a menina com 6 meses.. agora ficaram ainda piores..😣😣

    Gostar

  3. Maria Ramos diz:

    Olá! Também nunca tive o peito grande, quando parei de amamentar vi a “desgraça”. Ficaram molinhas, pequeninas enfim… Para mim a solução será também ir à faca mas por outro lado também quero mais filhotes. Foi e é uma experiência magnífica! Todas as marcas físicas que ficaram têm um significado maior que qualquer complexo ainda que me custe olhar para algumas sinto-me orgulhosa e feliz. Um beijinho a todas as guerreiras deste grupo 😉

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s